Mais vale a lágrima da derrota, do que a vergonha de não ter lutado. (Bob Marley)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Análise de como pessoas lidam com o dinheiro.

Desde que comecei a investir mais profissionalmente sempre gostei de observar como as pessoas lidam com o dinheiro. vamos a algumas observações de alguns colegas da minha repartição!!

Fiscal 1

   Fiscal 1 é casado, um filho, o cara tem renda de aluguel de um imóvel proveniente de herança. Certa vez o mesmo conversou comigo sobre sua situação caótica, naquele momento tinha 4 consignados em seu salário. algumas observações,  que fiz sobre um possível descontrole em sua  conta. Gastos desnecessários, sempre que ia almoçar com ele observava que sempre comprava um doce ou um chocolate após o almoço, perguntei a ele, sua situação está enrolada na conta e fica comprando essas besteiras ? aí ela falou, eu mereço, trabalho tanto, assim que conclui que deve fazer isso com várias outras coisas. A esposa trabalha, mas tem um sub emprego, ganhando bem pouco. Outro problema, é gastos com táxi, o carro velho da família fica com a esposa e ele não consegue andar de ônibus, muito das vezes, quando não consegue uma carona, chama um táxi ou o uber. Não tem conhecimento nenhum sobre finanças pessoais, investimentos e não vejo nenhum movimento em aprender. Agora está com planos de vender a casa que tem de aluguel para quitar as dividas.


Fiscal 2

   Esse vive reclamando da vida, que não ganha o suficiente, que queria passar em outro concurso, que o salário é baixo. Fiscal 2 compra ação, incrível não é mesmo ? nunca tinha conhecido alguém do meu circulo que comprava, mas faz compras sem qualquer estudo ou conhecimento, investe nas blue chips, Vale, Bradesco, Banco do Brasil, mas não sabe nada das empresas, acho que nem conhece o que é  Site R.i, Relações com o investidor. Deu sorte que comprou boa empresas, mas fica apreensivo quando as cotações caem, que é azarado e tal...Também já investiu em apartamento na planta, não deu conta de pagar e vendeu me parece com prejuízo. 

Fiscal 3

   Esse é um bom exemplo do que pode ser feito para uma melhoria de vida, Fiscal 3 passou nesse cargo, mas antes trabalhava em empresas privadas e com o acerto e acumulo anterior de dinheiro comprou um lote e aos poucos construiu nele uma casa em cima para morar e duas lojas em baixo para alugar. Hoje recebe  cerca de 2 mil reais de aluguel ao mês que ajuda a cuidar de sua família, é casado, três filhos, e parece ser bem controlado em termos de gastos. 

   Pessoal, mês de Novembro anda com quedas nas ações com o mercado receoso em não ser aprovado a reforma da previdência, pensei que ia atingir uma marca importante em termos de patrimônio, más essas quedar, ao menos por enquanto impediram isso, fazer o que ? renda variável é assim mesmo. Abraços e até a próxima...

16 comentários:

  1. É cada história hein.

    Esse Fiscal 1 é bem mais a cara da maioria. Passa aperto, mas quer se dar pequenos luxos pra compensar a situação difícil. Vai na contramão do lógico.

    Acontece que pra nós isso é lógica, pra maioria não.

    Eu já tive numa situação de 5 consignados, me dando presentinhos pra compensar também. Graças a Deus estou me libertando aos poucos, quitando aqui e ali, e mudando a forma de pensar gradativamente. Se tivesse conhecido essa comunidade antes...

    Um abraço Beto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poupador! O fiscal 1 representa a maioria do brasileiro.

      Excluir
  2. Eu gosto bastante desse tipo de post porque as pessoas não se prejudicam em nada já que seus nomes são preservados e é interessante estudar seus erros.

    É incrível como a nossa mentalidade é diferente da do pessoal dentro da Matrix financeira. Eu sinto até arrepios de pensar em fazer dívida, financiar, pegar empréstimo. Já eles acham super normal viver assim.

    Não sei como o Fiscal 1 não usou o argumento do "e se eu morrer amanhã". kkkkk Todo mundo usa esse.

    Eu tenho mil vezes mais medo de ficar velho e tendo que fazer trabalhos braçais para ganhar o dinheiro da pinga do que morrer cheio de dinheiro. Se eu morrer aportando e investindo pelo menos morro com a consciência tranquila de que fiz a minha parte.

    É interessante ver a diferença. Quando você conversa com alguém sobre o que eles querem, enquanto você pensa em IF, eles sonham com o mero consumo de produtos de marca.

    Viagens nem crítico porque são experiencia de vida, mas para se tiver de escolher entre atingir a IF mais cedo ou viajar, para mim a escolha é óbvia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Anon! complicado achar no mundo real uma similaridade de pensamentos como aqui na blogosfera. Também fico mais tranquilo em ter dinheiro na conta..abraço..

      Excluir
  3. Legal Beto,

    O fiscal 3 fez um otimo investimento: Nao paga aluguel e ainda aluga 2 lojas abaixo.

    Investimentos de pessoas simples e normais e que na maioria das vezes dao certo.

    Pelo menos o cara do item 2 investe em empresas melhores, se tivesse buscando turn around seria pior.

    E o fiscal do 1, que coisa ... Ainda vai vender um ativo gerador de aluguel pra quitar dividas, muito triste.

    Abraçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente ainda investe em imóveis e se dá bem, acredito que por tradição mesmo.

      Excluir
  4. Fala Beto!

    A situação do fiscal 1 é bem comum. A 2 já não conheço. Lembro de um gerente aqui que aplicava, mas saiu assim que a coisa desandou (hoje diz que ações não são investimentos)

    O fiscal 3 conheço algumas pessoas. Tenho um tio assim. Lembro que quando ele saiu do seu emprego, comprou um terreno e construiu um salão. Por um tempo usou ele para uma locadora. Quando viu que não tinha mais negócios, vendeu a locadora e hoje aluga o salão para uma igreja.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o fiscal é aquele que esbarramos toda hora na vida. O fiscal 2 até parece querer progredir na vida e tudo, más faz negócios bisonhos como comprar coisas sem estudo antes.

      Excluir
  5. Concordo com o VDC, o Fiscal 3 fez um investimento que serve para "pessoas comuns". Algo muito mais intuitivo do que analisar balancetes, mercado, etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o tipo de investimentos que todo mundo conhecer, apesar de conhecer casos na família de pessoas que se deram mal com casas de aluguéis.

      Excluir
  6. Os Fiscal 1 vai acabar com o imovel alugado que ainda ajuda. Muita loucura. O cara com um aluguel sem fazer nada e para quitar as dívidas vai vender o bem mais precioso que gera renda. Assim que quitar as dívidas, provável que entre em outra.

    O Fiscal 3 é exemplo de poupar para depois investir. Provavelmente somente 5% é como ele contando pela população brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, isso é tão comum na Matrix, é quase que uma regra. Vender algo, ou fazer empréstimos, pra pagar uma dívida, e depois encontra-se atolado em dívidas novamente! Só que agora SEM ativos pra vender, ou limite de empréstimo pra pegar.

      Típico demais. Vivi isso na pele.

      Excluir
  7. Interessante que na maioria das histórias de pessoas que saem bem financeiramente é super comum encontrar os imóveis de aluguel dentre os ativos que compõe seus portifólios.
    Não é à toa, certamente, e incentiva a aprendermos mais também sobre essa modalidade. Obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir
  8. O fiscal 1 é o mais comum. O fiscal 3 é o segundo mais comum, era muito mais comum no passado, hoje está caro investir em imóveis, o que limita muito a entrada nesse tipo de investimento.
    O fiscal 2 é o menos comum e mais recente. Faz pouco tempo que o brasileiro vem procurando investir em produtos financeiros em geral, inclusive RV. Não ter muita informação sobre isso é comum.

    Estou desanimado com investimentos... RF foi pro saco, RV está muito instável nos últimos dias (espero que essa fase passe) e imóveis em geral são caros, mesmo terrenos em lugares razoáveis não são baratos.
    Acho que a melhor época pra se investir em imóveis já passou.

    ResponderExcluir
  9. Belo post, Beto!

    Muito legal ver o planejamento financeiro (ou a falta dele) na prática, porque isso facilita a compreensão sem termos de passar por tantos perrengues.rs

    Como também sou funcionário público, posso te dizer que os exemplos do meu dia-a-dia são bastante parecidos com o dos seus colegas. Infelizmente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. O que o fiscal 3 fez foi legal, pena que não tem mais terrenos dando sopa por ai !!

    ResponderExcluir