Mais vale a lágrima da derrota, do que a vergonha de não ter lutado. (Bob Marley)

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Compras, Rendimentos e Renda Passiva em Junho de 2020.

   Olá amigos! Espero que todos estejam se cuidando e precavendo do covid 19, bem por aqui, meu irmão está com o covid, teve que ficar um dia internado e teve alta, aqui na minha região parece que estamos chegando no pico da doença agora.  O estresse com essa notícia é grande e tudo parece ficar complicado.  Nos investimentos as ações subiram muito em Junho, vai entender o mercado, parece que estão antecipando a alguma grande notícia como a descoberta de alguma vacina realmente eficaz, más a realidade é que a economia não está nada bem e os resultados das empresas listadas estão mostrando isso. 

GGRC11: Nesse mês com a venda de EDGA11 resolvi comprar novos fundos imobiliários, comprei 25 cotas do GGR Covepi fundo de investimento imobiliário. O fundo em seu portfólio é 59% galpões industriais e 41% galpões logístico. No momento possui 16 imóveis. 

VILG11: Comprei 26 cotas do Vinci Logística que possui 9 ativos com maior concentração na região de Extrema - MG com bons locadores como Ambev, Tok e Stok, Netshoes, Privalia entre outros. 


RENTABILIDADE

Investimentos Rendimento 
Carteira de ações 8,37%
Fundos imobiliários 3,57%
Tesouro Direto 1,59%
Poupança 0,38%
CONSOLIDADO MENSAL  5,25%
CONSOLIDADO ANUAL  13,31%

   Todos os investimentos terminaram o mês no positivo, destaque para carteira de ações que subiu 8,37% em Junho e no consolidado anual ainda no negativo de 13,31%.



RENDA PASSIVA

Dividendos de ações: R$ 162,19
Rendimentos de fundos imobiliários: R$ 713,21

Renda passiva em Junho 2020: R$ 875,40
Renda passiva em 2020: R$ 8659,97

   Infelizmente com a crise do corona, muitas empresas cancelaram ou postergaram pagamento de dividendos e isso refletiu nesse mês de Junho, apenas R$ 162,19 recebidos de ações enquanto a média de fundos imobiliários continua normal em torno de 700 reais. Pessoal, era isso, abraço a todos e fiquem com Deus. 





quinta-feira, 11 de junho de 2020

Vendi meu primeiro fundo imobiliário na vida

   Olá amigos venho   aqui para compartilhar que pela primeira vez na vida vendi um fundo imobiliário. Vendi o EDGA11, Fundo imobiliário Edifício Galeria, mono imóvel na região central do cidade do Rio de Janeiro , próximo ao aeroporto Santos Dumont, IPO realizado em 2012 pela valor de R$ 100,00. 




Os racionais para a venda desse fundo foram: 

1- Conforme gráfico acima a queda nos rendimentos é vertiginosa, quando comprei ele em 2014 os rendimentos mensais giravam em torno de R$ 0,70/mês  que foram caindo a cerca de R$ 0,10/mês e no momento está em torno de 0,20/mês conforme mostrado nesse gráfico acima. 

2- Diminuição do valor de cota, Quando comprei esse fundo a cota era em torno de R$ 70,00 já abaixo do valor de IPO e no momento a cota é negociada em torno de R$ 35,00, ou seja está desvalorizando o patrimônio do cotista ano a ano. 

3- Péssima gestão do BTG pactual segundo minha opinião como a questão da secretária da cultura do Rio de Janeiro que ficou mais de 9 meses inadimplente com o fundo sem ação judicial, confusão na escolha de consultor do fundo. 

4- Alta vacância do imóvel, em torno de 30 a 40%.

5- Situação ruim de aluguel de imóveis de lajes corporativas no Rio de Janeiro. 

6- Mono imóvel, a tendência é de hoje em dia de termos fundos multi imóveis com crescimento através de compra de ativos e nesse caso esse fundo não crescia e sim diminuía. 


   Vendi minha posição com prejuízo de mais de R$ 2000,00  e aportei o valor do imóvel em outro fundo imobiliário.
   Quando compro fundo imobiliário o objetivo é renda passiva e esse fundo estava prejudicando a rentabilidade mensal, não tenho objetivo de compra e venda em fiis, más nesse caso foi necessária, talvez tenha demorado a sair mais vida que segue.